Celebração do Domingo da Divina Misericórdia

DSC 5161No último fim de semana, foi celebrada em toda a Igreja a festa da Divina Misericórdia, festa esta em que o Papa João Paulo II, em Maio de 2000, decretou então que o segundo Domingo da Páscoa se passasse a chamar Domingo da Divina Misericórdia. Onde o Ressuscitado está no meio de nós.

Padre Leandro José de Melo em sua homilia diz que “estamos como a Igreja peregrina, caminhando na esperança de que o Ressuscitado está no meio de nós, que não nos abandona, mesmo diante de nossos medos, de nossas aflições, insistem em permanecer em nossas vidas, na vida de nossa família, na comunidade, na igreja, o Ressuscitado se coloca no meio de nós e diz: a Paz esteja convosco.”

Ainda segundo o Padre Leandro, “quando estamos com medo, nós nos fechamos, tudo se fecha, a Igreja, a família, a sociedade se fecham e então a graça de Deus não consegue agir no homem quando ele está fechado em si mesmo. É preciso então que as feridas abertas da misericórdia presentes nas mãos e do lado de Jesus Cristo seja o toque de Graça Divina para escancarar as portas de nosso coração. Ao aproximarmos do Cristo ressuscitado, de Jesus Misericordioso, somos então chamados a formar a grande multidão que, mesmo sem ter visto, mesmo sem ter tocado, nós cremos que Ele está no meio de nós, caminha conosco, faz história ao nosso lado, que ele sopra sobre nós o Espírito da Vida, para que tenhamos vida, sopra sobre nós a alegria. Encontrar com Jesus é estar perto da misericórdia e da alegria, mesmo que nosso coração esteja tomado de medo, de aflições, mesmo que nossa fé não esteja firme, é preciso aproximarmos da fonte de salvação de misericórdia. Tocar e deixar ser tocado. Deixar que o ressuscitado toque em nós.”

Celebrar a Páscoa é renovar a nossa fé. A ressurreição gera fé, transforma os corações então cheios de temor e assim formamos a comunidade daqueles que querem viver o Amor de Jesus.

Finalizando a celebração, Padre Leandro realizou a benção sobre o casal João e Luzia que celebraram 50 anos de vida matrimonial, “este não é apenas um testemunho para seus filhos e netos, mas sim um grande testemunho para toda a Igreja, que é possível viver o sacramento do matrimonio, de educar os filhos na fé, mesmo que os medos, temores, rondarem os corações, certamente vocês rezaram e pediram a graça da misericórdia, para serem perseverantes, serem fieis, dando bons conselhos aos filhos, e a vida de vocês já é prova que valeu a pena chegar até aqui. Que Deus possa conceder a vocês muitos anos ainda de vida matrimonial e sejam perseverantes e não desanimem.

Por Diego Augusto da Silva

  • site-pascom.jpg