Celebrado o dia de São Francisco de Assis, o santo que desposou a pobreza

DSC 3844

No último dia 04 de outubro, a Comunidade da Cohab celebrou com alegria e gratidão o Santo que desposou a pobreza: São Francisco de Assis. Diversos devotos e fiéis participaram da Celebração Eucarística realizada pelo Pároco José Milton dos Reis.

Nascido Giovanni di Pietro di Bernardone, na região de Umbria, Assis, na Itáilia no século 12. Seus pais eram de grandes posses. Francisco abandonou toda riqueza, até suas próprias roupas. Abraçou a pobreza. Despojou-se de tudo.

Paz e Bem, como Francisco cumprimentava as pessoas.

Certo dia em uma capela de São Damião diante de um crucifixo uma voz dizia: Francisco reconstrói Minha Casa que estás em ruínas. A voz se repetiu por três vezes. Francisco compreende que o Senhor queria que pregasse a paz levando o evangelho a todos. Assim consegue autorização com o Bispo para pregar e cria a regra da ordem. Percorreu campos e regiões espalhando o evangelho. Na época existiam os penitentes e Eremitas. Assim forma a primeira ordem: dos frades, também a segunda ordem: que é das Clarissa. Muitos encantados com suas pregações e queriam segui-lo daí forma a Ordem Franciscana Secular que as vezes o chamam de Ordem Terceira. Seu desejo ardente era de observar o evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Francisco queria imitar as dores de Cristo
Certo dia em um lugar apreciado de orações de Francisco, ele dizia ao Senhor que queria sentir as dores que sofreste na hora de sua paixão assim veio um serafim de seis asas, o Santo recebe as chagas nos pés, nas mãos e do lado ferido. Deus lhe tinha atendido suas orações e ele recebe às chagas semelhantes à de Cristo.

O beijo do leproso
Um certo dia andava a cavalo fora dos muros da cidade e se encontrou com o leproso, sua reação foi fugir, mas imediatamente foi ao seu encontro, abraçou e lhe deu um beijo. Com este ato vencera e se sentia outra pessoa. Compreendeu que debaixo daquelas feridas do leproso, revelava Jesus sofredor. E enquanto me retirava deles, o que parecia amargo tornou doçura de corpo e alma.

Francisco e a irmã morte
Ao cair da tarde no dia 03 de outubro de 1226, a febre aumentara e as forças reduziram-se, então Francisco queria ser colocado sobre a terra e pediu que cantassem o cântico das criaturas. Ele também cantou seu salmo favorito, 141, que fala o desejo de ir a Deus. Francisco não se prendeu a nada e partiu para o regresso ao Paraíso, louvo a irmã morte. Louvado seja meu Senhor pela nossa irmã morte espiritual.

São Francisco de Assis, rogai por nós!

Por Ordem Franciscana Secular

  • banner1000x120.jpg
  • capela.jpg
  • site-pascom2018.jpg